Presidente Lindolfo Paoliello

Um espaço para investimentos onde a cultura é propulsora do desenvolvimento

lindolfo“O problema não é inventar. É ser inventado”, escreveu o poeta Carlos Drummond de Andrade. Um país ou uma região, assim como um produto que se queira desejado, precisa encontrar uma narrativa. O Brasil ainda não encontrou sua narrativa. Que, no entanto, tem sido claramente percebida, e contada, por aqueles que vêm de fora, como Domenico De Masi, que em seu livro “O futuro chegou” escreveu sobre o Brasil: “Não há país no mundo que não gostaria de ter relações com esse colosso econômico”. Ele elenca, à exaustão, o que para um investidor supera, sutil e decisivamente, os prognósticos de uma agência de análise de risco. Mas substituo essa descrição pelo convite para que ela se revele ao vivo em uma visita do leitor a este país.

Há no Brasil uma região, Minas Gerais, na se qual observa um fato curioso: os atributos que compõem sua narrativa são tão densos, e percebidos com tal espontaneidade no jeito de ser local, o “espírito de Minas”, que logo surge uma empatia que faz o visitante sentir-se em casa. Mas é no contexto do trabalho que se revela de forma notável esse “espírito de Minas”, onde o “mineiro” faz diferença tanto pelo bom senso e equilíbrio quanto por marcante tenacidade da qual se consolidou a ideia de que o “mineiro” não desiste nunca.

A opção pelo jeito de ser de sua gente como vantagem diferencial de Minas Gerais começa a fazer sentido quando se observa a facilidade e a eficiência com que os então chamados “recursos humanos” pesaram na rápida e exitosa transformação da economia rural de Minas em uma economia industrial forte, nos anos 70. E vale como introdução ao novo quadro que se desenha no horizonte econômico deste Estado, sustentado na inteligência e conhecimento, em um ambiente de inovação e tecnologia fortemente ancorado na Universidade Federal de Minas Gerais, na crescente capacitação de jovens nas melhores universidades do mundo e – fato notável – animado por um espírito de liberdade que conduz a escapar da inelasticidade do salário. Minas caminha para o primeiro lugar na criação de startups no Brasil, é um dos líderes nacionais em microeletrônica e TICs, tem um dos principais polos de desenvolvimento de nanotecnologia e a UFMG lidera o ranking de depositantes de patentes no Brasil, com destaque para a biotecnologia. Conhecimento, inovação e tecnologia representam então a chave do novo modelo de desenvolvimento de Minas Gerais, um espaço da oitava maior economia mundial que cultiva a cultura como elemento civilizador.

Passeie pelo Minas Gerais Business Guide como quem folheia prazerosamente um cardápio e descobre opções que surpreendem – e atendem.

Lindolfo Paoliello

Presidente

ACMinas-Associação Comercial e Empresarial de Minas

Share: