Logístca e Infraestrutura

port-cinco

Minas Gerais, Brasil, Localização

O Estado de Minas Gerais situa-se na região sudeste do Brasil, região de maior desenvolvimento e mercado do país (mais de 50% do PIB brasileiro).

Minas Gerais faz divisa com os estados de São Paulo, Rio de Janeiro , Espírito Santo, Bahia, Goiás,  Distrito Federal / Brasília e  Mato Grosso do Sul. A sua posição geográfica transforma Minas Gerais  em corredor de ligação entre as várias regiões do país, aspecto catalizador de bons negócios.

imagem 45

Logística

Rodovias e Ferrovias

Minas Gerais possui a maior malha rodoviária do Brasil com 269.546 quilômetros de rodovias, cerca de 15% do total nacional. Desse total, 28 mil km são pavimentados.

Algumas  das principais rodovias que atravessam Minas Gerais são:

Rodovia Fernão Dias (BR 381): Principal rodovia de Minas Gerais, a Fernão Dias conta com 562 quilômetros totalmente duplicados e liga as regiões metropolitanas de Belo Horizonte e de São Paulo sendo um dos mais importantes eixos de transporte de carga de todo o Brasil. Esta rodovia corta o Sul de Minas, a principal região produtora de café do mundo e que conta com importantes parques fabris em municípios como Lavras, Varginha, Três Corações, Pouso Alegre e Extrema.

A  rodovia é administrada pela Autopista Fernão Dias, empresa do Grupo Arteris.

BR-040 – Rio de Janeiro – Belo Horizonte – Brasília: Com 1.148 Km sendo 716 km em território mineiro, essa importante rodovia nacional atravessa as regiões da Zona da Mata, o Campo das Vertentes, a Metropolitana de Belo Horizonte e o Noroeste de Minas Gerais.

Esta rodovia corta importantes polos industriais e agrícolas, além de áreas de extração mineral e  serve como principal via de acesso às Cidades Históricas do Estado.

A BR-040 é administrada por duas empresas privadas: a Via 040, responsável por gerenciar 936,8 quilômetros entre Brasília (DF) e Juiz de Fora (MG), e pela Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio (Concer) que administra 180,4 quilômetros da rodovia, no trecho de entre Juiz de Fora (MG) e Rio de Janeiro (RJ).

Rio-Bahia (BR 116):  lmportante rodovia integradora nacional,  une as regiões Nordeste ao Sudeste e Sul do País. No território mineiro atravessa a Zona da Mata e os vales dos rios Doce, Mucuri e Jequitinhonha.

BR 262: Liga o complexo portuário do Espirito Santo à região Centro-Oeste do País, principal área produtora de grãos do Brasil. Em Minas Gerais, a BR 262 atravessa as regiões do Vale do Rio Doce, Metropolitana de Belo Horizonte, Centro-Oeste de Minas, Alto Paranaíba e Triângulo.

MG-050: Rodovia estadual com extensão total de 406,7 quilômetros e que corta o Sudoeste de Minas Gerais ao ligar a Região Metropolitana de Belo Horizonte a São Sebastião do Paraíso, município próximo à divisa com o estado de São Paulo. A rodovia é administrada pela Concessionária Nascente das Gerais.

BR -050: Rodovia Federal  que liga São Paulo a  Brasília (Distrito Federal) e cruza a região do Triângulo Mineiro em Uberaba e Uberlândia. São 1010 km de autoestrada duplicada, 210 km dos quais na região mineira.

Ferrovias

Com relação à malha ferroviária, o Brasil conta com mais 30 mil quilômetros de ferrovias. Nesse contexto, Minas Gerais destaca-se por possuir a segunda mais extensa malha.  As ferrovias que atravessam Minas Gerais são administradas pelas empresas MRS Logística S/A, Ferrovia Centro-Atlântica S.A. e pela Vale S/A.

imagem 46

Portos e Aeroportos

Conectividade aérea

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte é o mais importante aeroporto de Minas Gerais. Localizado  no munícipio de Confins, a 40 km do centro da capital, situa-se  em um raio de 200 km dos principais atrativos turísticos mineiros, como Ouro Preto, Mariana, Congonhas, São João Del Rei e Tiradentes.

Possui localização privilegiada em relação aos principais centros consumidores do País e posiciona-se estrategicamente no eixo São Paulo-Rio de Janeiro-Belo Horizonte.

Operado pela concessionária BH Airport, o novo aeroporto foi ampliado em 2016 e é hoje um dois mais importantes do país com capacidade superior a 20 milhões de passageiros por ano.  Conta com modernas instalações e completo ambiente de serviços.

Belo Horizonte conta ainda com o Aeroporto da Pampulha, para vôos regionais e aviação executiva.

Aeroportos no Interior de Minas Gerais

As cidades de Montes Claros (Região Norte), Uberlândia, Uberaba, Araxá, Patos de Minas (Triângulo Mineiro) , Poços de Caldas, Varginha, Pouso Alegre (Sul) , Juiz de Fora, São João del Rei, Ipatinga, Governador Valadares e Diamantina possuem aeroportos com linhas regulares de transporte aéreo.

imagem 47

Portos

 Portos Terrestres (Estruturas Aduaneiras Internas)

Há 5 portos terrestres (chamados “portos secos”) que aceleram os processos de desembaraco alfandegário). Situam-se nas cidades de Betim, Juiz de Fora, Uberaba, Uberlândia e Varginha, com operação privada e com volumes significativos.

Minas se conecta aos portos marinhos

A Logística de Minas passa por portos em São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Em especial, o recente posicionamento do Porto de Açu, complexo porto-indústria instalado no norte do Rio de Janeiro, que tem  potencial para se tornar a solução logística para o estado mineiro.

Em operação desde 2014, o Porto do Açu está localizado em São João da Barra, no norte do estado do Rio de Janeiro, e conta com um complexo portuário de 90 km², desenvolvido com base no moderno conceito porto-indústria. O Açu já abriga empresas líderes mundiais em seus setores e, no 1º semestre de 2017, atingiu dois importantes marcos: recebeu mais de mil embarcações (o mesmo número de todo o ano de 2016) e foi o 4º terminal privado em exportação de cargas, segundo dados da Antaq.

Terminal 1 Com localização estratégica, a apenas 123 km do centro da Bacia de Campos e vizinho a Minas Gerais, o Porto do Açu tem potencial para se tornar a ferramenta para otimizar a logística das empresas mineiras, tanto para escoar sua produção quanto para importação de insumos e recursos. O Porto do Açu conta com dois terminais: o Terminal 1 (T1 – terminal offshore) e o Terminal 2 (T2 – terminal onshore), além de área para a instalação de unidades de empresas dos setores marítimo e industrial. 

Uma das soluções é o Terminal Multicargas (T-MULT), em operação desde 2016 e autorizado a operar com graneis sólidos e carga de projetos. O T-MULT já movimenta coque, carvão e bauxita produzida pela Votorantim, em Miraí (MG), além de outros produtos. Além disso, ele também é competitivo para outros setores da Região Metropolitana de Belo Horizonte e do Norte de Minas Gerais, com destaque para siderurgia, rochas ornamentais, veículos e coque. O terminal terminal 2Com lconta com 500 metros de cais (com possibilidade de expansão para 1.200 metros), aproximadamente 200 mil m2 de área alfandegada e 2 guindastes MHCs. Com 14,5 metros de profundidade, o que possibilita que o terminal receba navios Panamax, o T-MULT também pode ser a melhor alternativa para carga de projeto voltada para o mercado de O&G.

O Porto do Açu tem parceria com o Porto de Antuérpia Internacional (PAI) – subsidiária da autoridade portuária da Antuérpia e segundo maior porto da Europa. A parceria reúne a experiência de mais de 200 anos do PAI na operação e desenvolvimento de um complexo porto-indústria com as oportunidades que o Porto do Açu oferece, como  um complexo portuário privado, operacional e com retroárea disponível.

Somos um porto privado e vamos atender às necessidades específicas de cada cliente para tornar seus produtos mais competitivos. A nossa missão é entender a demanda específica do estado e as cargas existentes para otimizarmos todo o processo logístico.” – José Magela (presidente da Prumo Logística)

Dentre as atividades que dependem de um complexo portuário eficiente estão siderurgia, rochas ornamentais, veículos, minérios e coque. No nosso empreendimento, elas poderão usufruir de soluções logísticas competitivas, seguras e integradas. – Fernando Schuffner (Diretor Comercial da Prumo Logística)

imagem 58

Foto: Porto do Açu / Créditos: Prumo Logística

 

Energia Elétrica

Minas Gerais conta com umas das mais importantes empresas integradas de energia elétrica do Brasil, a Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG).

A Cemig Distribuidora é responsável pelo atendimento a mais de 8 milhões de consumidores em 774 municípios de Minas Gerais e também é responsável pela gestão da maior rede de distribuição de energia elétrica da América Latina, com cerca de 510 mil km de extensão.

A Cemig destaca-se ainda no segmento da geração de energia elétrica ao ocupar a terceira posição entre as maiores geradoras brasileiras. A Cemig, por meio de suas subsidiárias integrais, controladas e coligadas, possui 120 usinas, entre hidrelétricas, termelétricas e centrais eólicas, com capacidade instalada de 8.5 GW.

A capacidade total instalada em Minas Gerais é de cerca de 16GW, cerca de 11% do total da capacidade instalada brasileira.

Energias renováveis em Minas Gerais

Minas Gerais possui ambicioso projeto para para aumentar a geração de energia a partir de fontes renováveis, especialmente para as oportunidades de energia solar e eólica, para as quais estão disponíveis  levantamentos dos potenciais destas fontes.

Saiba mais em cemig.com.br

 

Minas mais uma vez parte na dianteira no uso da energia solar fotovoltaica – Alexandre Bueno

Estudos apresentados no 30º Balanço Energético de MG (2014) indicam que o aquecimento solar é responsável, em MG, por 13,7% de consumo evitado nos setores residencial mais comercial. Isto é, se em vez dos mais de 4,3 milhões de m² de coletores solares tivéssemos apenas aquecimento elétrico, o consumo de energia elétrica dos setores residencial e comercial de energia elétrica seria 13,7% maior no Estado, e o consumo total de energia elétrica no Estado seria 4,8% maior. Uma contribuição siginificativa à eficiência energética.

Em relação à energia solar fotovoltaica, o Estado segue o mesmo caminho; dos cerca de 11.400 sistemas instalados no país (ANEEL, maio de 2017), 2.330 estão em MG, que responde por quase 20% da capacidade instalada em painéis solares em telhados no Brasil. Cabe então uma pergunta: por que este desempenho diferenciado?

  • Cultura de utilização da energia solar térmica; Minas Gerais dispõe da maior área de coletores solares térmicos do país;
  • Altos níveis de insolação anual, especialmente nas regiões Central, Norte, Noroeste, Oeste, Sudoeste e Triângulo;
  • Primeiro Estado a conceder isenção de ICMS sobre a energia de autoprodução; desde 2013 o Estado conta com uma política de incentivo ao uso da energia solar (Lei 20.849, e Decreto 46.296, ambos de 2013), que dispõe sobre o Programa Mineiro de Energia Renovável e prevê a concessão de incentivos fiscais e tratamento tributário diferenciado aos empreendimentos geradores de energia renovável.

imagem 59

Foto: Mineirão / Créditos: Fernando Rabelo

Água e Saneamento

Minas Gerais conta com a Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (COPASA), uma das principais empresas de serviços em abastecimento de água, esgotamento sanitário e resíduos sólidos do Brasil, com uma rede abastecimento de água de  49.886 km (2015).

O serviço de telecomunicações em Minas Gerais foi o primeiro a ser universalizado. Essa importante meta foi alcançada em 2008 quando todos os municípios mineiros passaram a contar com os este serviço.

Além das principais operadoras de telefonia do Brasil, Minas Gerais conta com os serviços da Cemig Telecom, empresa do Grupo Cemig, que oferece soluções em fibra óptica e conectividade para empresas de diversos segmentos.

Telecomunicações

O serviço de telecomunicações em Minas Gerais foi o primeiro a ser universalizado. Essa importante meta foi alcançada em 2008 quando todos os municípios mineiros passaram a contar com os este serviço.

Além das principais operadoras de telefonia do Brasil, Minas Gerais conta com os serviços da Cemig Telecom, empresa do Grupo Cemig, que oferece soluções em fibra óptica e conectividade para empresas de diversos segmentos.

 

Gás Natural

A distribuição de gás natural canalizado em Minas Gerais está a cargo da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), que distribui cerca de 4 milhões de m³/dia.

A Gasmig tem trabalhado para ser uma das três maiores distribuidoras de gás natural do País e investido na construção de redes subterrâneas de distribuição para ampliar significativamente o atendimento aos clientes residenciais e comerciais, especialmente na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Juiz de Fora e no Sul de Minas.

imagem 48

Saúde

Minas Gerais conta com mais de 36 mil estabelecimentos na área de saúde, dos quais da ordem de 15% em Belo Horizonte – aglomeração que torna Belo Horizonte um dos cinco mais importantes centros hospitalares brasileiros.

Rede hospitalar

Nos hospitais de referência do Estado, a maior parte instalada em Belo Horizonte, é possível encontrar especialidades clínicas e procedimentos notáveis, com certificações concedidas por órgãos internacionais.  Pacientes locais, de outros estados e até de fora do país encontram na capital mineira, centros de excelência para realizarem tratamentos de saúde.  O hospital João XXIII, pertencente à Fundação Hospitalar do Estado  de Minas Gerais (Fhemig) é conhecido nacionalmente pelo trato de politraumatizados e casos graves de intoxicações e queimaduras.  O Vila da Serra, referência em neonatologia, recentemente passou a adotar a cirurgia robótica, em parceria com o Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Para atendimento a pacientes de média e alta complexidade, Belo Horizonte conta com o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais.

A Unimed-BH, uma das maiores cooperativas médicas do Brasil, com mais de 1,2 milhão de clientes e 5,6 mil médicos cooperados mantém, sob sua rede assistencial,  dois hospitais de urgência e emergência, uma maternidade, um hospital pediátrico, uma unidade de pronto-atendimento e seis unidades ambulatoriais, além de laboratórios, atendimento móvel e centros de exames. Dois investimentos, no valor total de R$ 172 milhões, estão melhorando e ampliando a atual rede de atendimento.

imagem 61O Estado de Minas Gerais ampliou sua disponibilidade de tratamentos com o recém- inaugurado Hospital Integrado do Câncer (HIC), da rede Mater Dei de Saúde. A rede utiliza, pioneiramente, um sistema avançado de identificação e tratamento de câncer de próstata, amparado por imagens que também avaliam alterações metabólicas do organismo.

Outro destaque é o Biocor Instituto, parâmetro internacional no diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares. Como hospital geral é reconhecido pelos procedimentos complexos de excelência e pela atenção individual aos pacientes.

No interior do Estado, em Ipatinga, Vale do Aço, o hospital Márcio Cunha (HMC) se destaca pela superioridade em saúde no Leste de Minas.  Foi o primeiro hospital do país a ser certificado com o título de Acreditado com Excelência, em 2003.  Com investimentos recentes de R$ 25 milhões, feitos por sua entidade mantenedora, a Fundação São Francisco Xavier, inaugurou a primeira unidade de oncologia pediátrica na região, entre outras obras.  O hospital é hoje a quarta maternidade de Minas Gerais em número de atendimentos e de nascimentos, com taxa de parto normal  de 50,83%. O índice geral na taxa de infecção é de apenas 1,65%.

Muitas destas instituições se destacam no Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços de Saúde (Qualiss), da  Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), no qual figuram quase 90 estabelecimentos de saúde sediados em Minas Gerais.

Foto: Mater-Dei

Pesquisa

Na área de saúde pública e pesquisa merece registro a Fundação Ezequiel Dias (Funed), uma instituição modelo pelos estudos e produção de medicação e análises laboratoriais dos agravos à saúde coletiva. Laboratório oficial do Estado, integra a Associação de Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil (Alfob).

A Funed fabrica, com exclusividade no país, a talidomida – medicamento para o tratamento da hanseníase e potencial para tratamento de outras doenças, como o câncer. É o único laboratório público fornecedor da vacina contra meningite C para o Ministério da Saúde.

Em Minas Gerais mantém exclusividade na produção de soros antipeçonhentos, antitóxicos e antivirais, que são disponibilizados nos hospitais públicos de todo o território nacional.

Com 110 anos de existência, a Funed possui, ainda, a divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças, responsável pela contenção e diagnóstico de várias enfermidades. Atua como referência nacional para sorologia de doença de Chagas e leishmaniose e para os danos de meningites, doenças enterais, difteria e coqueluche para os estados de Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Regionalmente realiza diagnósticos de tuberculose, IST/AIDS, dengue, febre amarela, hepatite, sarampo, febre maculosa, dentre outras doenças.

Santa Casa de Belo Horizonte

A Santa Casa BH foi premiada como uma das 100 Melhores ONGs do Brasil em 2017, dentre as mais de 300 mil instituições cadastradas no país. Essa foi a primeira edição da lista #melhoresOngs, que tem como objetivo reconhecer boas práticas de gestão e transparência no terceiro setor e incentivar a cultura de doação no Brasil. Para o prêmio, mais de 1500 concorreram e 150 foram pré-selecionadas por um comitê executivo, com base no desempenho apresentado.

A Santa Casa BH atende 80% dos municipios mineiros, atende 100% pelo serviço público de saúde (SUS), realiza mais de 3 mil internações por mês e cerca de 150 mil exames por mês.

Principais Hospitais: Biocor, Hospital Felicio Rocho, Hospital Mater Dei, Hospital Santa Rita, Hospital Vera Cruz, LifeCenter, Santa Casa de BH (região metropolitana de Belo Horizonte).

Laboratórios de análises e clínicas de imagens:  Hermes Pardini, Axial Medicina Diagnóstica e Rede Mater Dei de Saúde.

 

Educação

Minas Gerais conta com uma força de trabalho altamente qualificada, com níveis de excelência em diversas áreas do conhecimento.

O Estado foi pioneiro na inserção de crianças na escola com a idade de seis anos, garantindo mais um ano de ensino fundamental na rede pública de ensino, que atende também o ensino médio.

A qualidade também é perseguida pelas instituições privadas, algumas consideradas as melhores do país e pelas internacionais, que seguem os currículos americano, italiano, espanhol e canadense.

As Federações de Agricultura, Comércio, Indústria e Transporte mantêm escolas e centros de tecnologia para a formação e especialização de mão de obra técnica de alto nível. Além dessas importantes instituições, o Estado conta com uma ampla rede de escolas técnicas, com destaque para o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), a Fundação de Educação para o Trabalho (UTRAMIG) e vários institutos federais nas áreas de Educação, Ciência e Tecnologia de âmbito regional.

O Estado sedia 400 instituições de ensino superior, das quais 14 são universidades públicas, 12 federais e duas universidades estaduais. No ranking elaborado pelo Ministério da Educação, três das 10 melhores universidades  avaliadas estão sediadas no Estado: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Zona da Mata e a Universidade Federal de Lavras (UFL), no sul do Estado.

No âmbito da formação de gestores para o setor público, merece destaque a Escola de Governo da Fundação João Pinheiro (FJP) e no âmbito da formação de gestores empresariais, pontifica a Fundação Dom Cabral (FDC), instituição que oferece os melhores cursos de pós-graduação em administração do país, eleita pelo jornal Financial Times uma das 12 melhores escolas de negócios do mundo e a primeira na América Latina.

Centros culturais e escolas de idiomas renomadas, como Aliança Francesa, Cultura Inglesa, Instituto Cervantes complementam a oferta educacional, com destaques para cursos desenvolvidos do idioma português para estrangeiros.

imagem 63

Foto: PUC Minas / Créditos: Fernando Rabelo

imagem 49

GF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: UFMG / Créditos: Foca Lisboa – UFMG
No comments
Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *