Bonjour France III: Integração e gestão de empresas francesas e brasileiras

Bonjour França III

Bonjour France III: Integração e gestão de empresas francesas e brasileiras

Por Marcello Vinícius de Oliveira

No último dia 07 de junho, a Câmara de Comércio França-Brasil em Belo Horizonte e a Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas), realizaram mais um encontro “Bonjour França”. O evento, em sua terceira edição, é  uma marca da cooperação entre as duas instituições, parceiras no fomento dos negócios internacionais entre Minas Gerais e França.

Coordenado pela  A ACMinas,  também este evento é uma realização do Projeto Internacionaliza BH, que  tem avançado na pauta de Cultura de Negócios e para Negócios.

Neste encontro foram debatidos e apresentados estudos das relações da sociedade francesa e brasileira, casos de sucesso de empresas brasileiras com capital francês e de multinacionais francesas que operam em território brasileiro.

Os temas apresentados foram:

– A importância do “Cultural Awareness” nos comportamentos empresariais, tema ministrado pelo Sr. Vanderlei Raffi Schiller

– Transformação empresarial e cultural: boas práticas e lições aprendidas em 20 anos de acompanhamento de empresas europeias/ francesas no Brasil, tema que foi apresentado pelo Sr. Fréderic Donier, sócio-diretor da Crescendo Consultoria.

– Aperam: case de uma ex-estatal brasileira que se transformou em uma empresa euro-brasileira, líder global em aços especiais, palestra conduzida pelo Sr. Frederico Lima, CEO da Aperam South America.

– Vinci- Energies: case de crescimento no Brasil e no mundo, através de aquisições e integrações culturais, apresentação feita pelo Sr. Dominique Ferreira, CEO Vinci Energies Brasil.

Os temas apresentados permitiram compreender algumas questões e diferenças sócio-culturais entre brasileiros e franceses que  refletem no ambiente empresarial, no convívio diário e também nas negociações e construção de relacionamentos de parcerias e negócios. Muitas vezes a má interpretação e compreensão dos  valores e práticas culturais, pode levar a divergências e conflitos quando há a interação entre essas duas matrizes culturais diversas entre si.

Como ressaltado ao longo dos debates e apresentações, não se categoriza culturas em uma escala de valor moral e ético, nem se enxerga sob um viés comparatório de “certo e errado”, o que temos são reflexos da construção sócio-histórica de cada sociedade, que ao longo de seu desenvolvimento acumulou valores e tradições que são típicos únicos de cada povo e nação. Esse processo é fruto de diversos fatores conjunturas, que vão desde os aspectos geográficos do país, a sua interação com outros povos, a sua percepção de tempo e espaço e o valor atribuído a cada uma dessas instituições humanas, além da organização política e do controle da interação social dos indivíduos dessa determinada sociedade.

A tabela abaixo sintetiza  algumas características destacadas no evento:

Franceses Brasileiros
Distância na Hierarquia Flexibilidade nas relações
Individualismo Coletivo
Comunicação Implícita Extrovertido e criativo
Tomada de decisões demoradas Tomada de decisões rápidas
Espirito de competição Espirito de grupo
Trabalho sob pressão Evita pressão e estresse
Gosta de debates Reativo (emotivo)

(Fonte: Fréderic Donier, Crescendo Consultoria)

O conjunto dessas caraterísticas impactam no comportamento do índividuo francês e brasileiro e na qualidade das relações que são construídas entre a interação dessas duas culturas. O brasileiro devido o conjunto de suas características tem um visão mais otimista, criativa e em uma contínua busca de progresso, que aliados a contraponto francês de rigor, metodicidade, planejamento e organização, formam um poderoso time intercultural quando há entre os dois grupos uma predisposição para compreender estes pontos de diferença, gerando assim um trabalho focado e organizado, prazeroso e criativo.

Todo esse aprofundamento na cultural francesa construídos ao longo do evento, deixou um sentimento claro entre os participantes, de que as barreiras culturais nunca devem ser vistas e entendidas como entrave ou impedimento, mas como uma oportunidade de se agregar valores e competências inerentes a cada cultura, desenvolvendo assim ricas e produtivas cooperações onde há uma crescimento harmônico contínuo e mútuo.

Foi um evento extremamente participativo, à altura dos ilustres executivos apresentadores, a quem registramos o agradecimento da ACMinas e CCFB-MG pela contribuição significativa ao processo de internacionalização de Belo Horizonte.

Confira o registro fotográfico do evento.

No comments
Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *